Investidor segurando o console em cima de uma bola de futebol.

O que é FutCoin e como comprar?

O mundo das criptomoedas juntou-se ao do futebol e criou o próprio ativo digital, o FutCoin. Sim, é possível comprá-lo e vendê-lo usando uma corretora ou uma carteira digital. De quebra, você ainda dá aquele suporte para seu time. Porém, como isso funciona? Quais times contam com isso?

Um dos fatos interessantes sobre esse tipo de ativos digitais é que, ao comprá-lo, você não somente ajuda seu time com recursos: ainda pode ganhar dinheiro. Isso acontece não somente quando a moeda se valoriza por conta da alta procura. Conheça um pouco mais sobre o FutCoin e como adquiri-lo.

Paixão por futebol e criptomoedas

A ideia por trás do FutCoin é repassar uma parte dos direitos do clube nas transferências dos atletas  aos detentores do ativo. Assim, quem tem criptomoedas de um time ganha uma parcela do valor de venda dos passes dos jogadores, mesmo que eles não joguem mais naquele clube. 

Esse funcionamento leva em consideração o mecanismo de solidariedade da Fifa. Com ele, os clubes que formaram os atletas e aqueles pelos quais ele passou até os 23 anos de idade dividem um percentual de 5% do valor de cada transferência internacional.

Um exemplo muito visível é o jogador Neymar. Hoje, ele joga fora do país, mas, como ele se formou pelo Santos, a cada transferência para outro clube internacional, ele leva um percentual sobre o valor da transação — e os detentores do Token da Vila (a moeda do Santos) também ganham.

O motivo do mecanismo da Fifa

Aqui, vale um parágrafo especial para explicar porque a Fifa teve essa ideia. O mecanismo surgiu no início dos anos 2000 com o intuito de estimular os clubes a formar atletas desde o início, lá na base. 

O clube precisa fornecer uma estrutura completa ao jovem jogador, desde alojamentos até assistência educacional, psicológica, médica e alimentícia, incluindo a formação profissional e o treino. A instituição também precisa provar à Fifa que o jogador participou de competições oficiais.

Como funciona?

O FutCoin dos times funciona como uma cesta com alguns dos jogadores mais famosos e com mais potencial, que são “crias” do clube. Assim, além do Neymar, o Gabigol e o Alan Patrick fazem parte do Token da Vila, entre outros profissionais. 

Todas as vezes que um dos jogadores é envolvido em uma transação internacional que se concretiza, aquele percentual de 5% é dividido entre os clubes e parte dele é destinado aos detentores do FutCoin. Ou seja: quanto mais trocas de agremiações, mais os clubes e os donos dessas criptomoedas ganham.

Investidor segurando o console em cima de uma bola de futebol.

Como isso é criado?

O FutCoin é criado da mesma forma que os demais ativos digitais, usando um blockchain que registra as transações. Há uma quantidade limitada de moedas, que é auditável e impede que o clube coloque em circulação mais tokens do que foi acordado na ICO (Oferta Inicial de Moedas).

O valor do FutCoin também é definido na ICO. Como qualquer ativo de renda variável, ele pode variar dependendo das transferências internacionais dos jogadores, da cotação do euro na data (visto que essa é a moeda física oficial da Fifa) e de quanto os clubes ganham com cada transação, por exemplo.

FutCoin X Fan Token

Vale lembrar que o FutCoin é diferente do Fan Token. Enquanto o primeiro remunera os detentores com parte dos direitos de transferência, o segundo é como uma carteirinha de sócio, que dá direito a descontos, ofertas de serviços e acesso a opções exclusivas.

Assim, o Fan Token não participa do mecanismo da Fifa de remuneração. Já o FutCoin, sim. Há um detalhe: o FutCoin não pode ser sacado em dinheiro, visto que não é possível identificar quem é o detentor da moeda para o repasse da Fifa.

Quais são os times com moedas digitais?

Há times brasileiros que possuem criptomoedas. O Vasco da Gama tem o Vasco Token, com Philippe Coutinho, Marrony e Alex Teixeira Santos na cesta de jogadores. Como já falamos antes, o Santos tem o Token da Vila.

É importante lembrar que os tokens se valorizam de acordo com as transferências internacionais. Assim, se um jogador ficar muito tempo em um time, o clube não ganha o percentual da Fifa. A flutuação de preço no mercado de criptoativos é intensa, o que pode interferir no valor final.

Saiba mais sobre criptomoedas

Agora que você sabe que pode investir em FutCoin, continue navegando pelo blog da NovaDAX para acompanhar as novidades do mundo das criptomoedas, dos blockchains, dos NFTs e dos tokens. Assim, você tem mais informações para fazer os melhores negócios com ativos digitais. Acesse e confira!

Compartilhe

Leia mais