o que é swap

Entenda o que é swap e como isto funciona

Um dos derivados de mercado que vem ganhando destaque é o swap, mas este termo pode causar dúvida em quem ainda é iniciante na área de investimentos. Sendo assim, neste artigo, explicaremos com mais detalhes o que é swap e como ele funciona, além dos principais tipos que existem.

O que é swap?

Para entender o que é swap, pense que se trata de um tipo de derivativo, ou seja, um instrumento financeiro que possui o preço de um ativo. O swap pode representar um acordo entre duas partes, sejam companhias, investidores ou outros. Dessa forma, ambas podem trocar fluxos de caixa com base em um valor de referência, entre outras condições.

Também é possível que as duas partes negociem as rentabilidades de dois ativos, uma troca de “riscos”. A operação swap pode ser utilizada como uma estratégia de proteção em que o prazo pode durar um longo tempo. Os swaps podem ser usados por companhias que não desejam estar expostas a riscos que envolvam as atividades, como a variação cambial, por exemplo.

Principais tipos de swap

Para entender melhor o que é swap, conheça os modelos e as principais características que existem, já que eles mudam conforme os ativos e/ou mercadorias. A seguir, veja quais são os tipos de swap utilizados no mercado financeiro.

Swap cambial

É importante entender o que é swap cambial para que duas partes troquem os juros em uma determinada moeda mais os juros em outra moeda. Assim, um dos envolvidos faz pagamentos na outra moeda em datas futuras. É uma troca de taxa de variação cambial, em que a volatilidade do valor da moeda A é trocada por uma taxa de juros definida de forma antecipada no contrato de troca.

Swap de índices

É parecido com o swap de moeda, porém trocam-se fluxos de caixa relacionados ao retorno de índices de valor, como no caso do IPCA. Um exemplo é o swap de Ibovespa contra a taxa do DI, que indica o retorno de renda fixa. Para isso, as partes trocam um fluxo de caixa indexado ao retorno do índice Ibovespa por outro fluxo relacionado com a variação do DI.

Swap de taxa de juros

Aqui, ocorre a troca de indexadores relacionados com ativos ou passivos, em que a taxa de juros é uma das variáveis. Um exemplo desse modelo é o swap de DI contra o dólar. 

Neste cenário, as partes devem trocar fluxos de caixa indexados ao DI por outros relacionados à variação do câmbio mais uma taxa de juros. É permitido fazer swap de DI entre taxas prefixadas, que têm indexadores distintos.

Swap tradicional e swap reverso

Outra forma de entender o que é swap é sabendo a diferença entre o tradicional e o reverso. No primeiro caso, o pagamento da variação cambial do dólar mais um prêmio é oferecido ao investidor pelo Banco Central com a finalidade de conter altas bruscas da moeda. Então, o investidor compromete-se a pagar a variação da taxa de juros ao banco, durante a validade do contrato.

Já o swap reverso é utilizado para controlar as quedas fortes da moeda, que podem ser prejudiciais para as exportações e os demais setores. Nessa situação, o Banco Central oferece os juros do período ao investidor, que paga a oscilação cambial. Assim, é possível proteger-se da desvalorização do dólar.

Saiba mais sobre investimentos e criptomoedas com a NovaDAX!

Após saber o que é swap e quais são os diferentes tipos que existem, confira outros artigos do blog da NovaDAX para aprender mais conceitos sobre o universo das criptomoedas!

Compartilhe

Leia mais