Gráfico de crescimento das criptomoedas.

O que fazer quando há a queda das criptomoedas?

A queda das criptomoedas em 2022 assusta e preocupa muitos investidores. Afinal, moedas digitais de peso, como Bitcoin (BTC), Ethereum (ETH), Tether (USDT) e Binance (BNB), tiveram queda de cerca de 50% nos últimos seis meses.

Hoje, é inegável o papel que as criptomoedas têm no âmbito financeiro. Apesar de serem ideias disruptivas e novas no mercado, presentes somente há 14 anos, elas já acumulam cerca de 300 milhões de usuários. Por isso, a queda das criptomoedas surge como um assunto na boca de muitos investidores.

Afinal, você sabe o motivo da queda das criptomoedas e como sobreviver a esse período? Se não tiver resposta para essas perguntas, não deixe de ler o conteúdo abaixo. A boa notícia é que esse momento é passageiro e deve se recuperar em breve.

A seguir, explicamos tudo sobre esse período de inverno cripto, além de darmos dicas do que fazer para proteger as suas finanças ou alavancá-las com oportunidades escondidas. Confira!

Como o período da queda das criptomoedas é chamado?

O período de queda das criptomoedas é chamado de inverno cripto pelos especialistas. Ou seja, é um período em que as moedas digitais são colocadas na geladeira por conta de alguma situação socioeconômica que afetou a cotação.

Os investidores mais experientes preparam-se durante todo o ano de investimento para esse período. Afinal, ele pode ocorrer inesperadamente. Por outro lado, o inverno cripto é passageiro e pode ser uma oportunidade de renovar a carteira de aplicações.

As criptomoedas caindo assustam, mas tente não se desesperar. Se esse for o seu primeiro inverno cripto, não se preocupe! Caso ainda não tenha montado uma estratégia para lidar com as cotações em queda, lembre-se de manter os retornos mais previsíveis, investindo em criptoativos conhecidos e confiáveis.

O que está causando a recente queda?

Não é a primeira vez que o mercado de criptomoedas passa por esse tipo de situação. Isso também aconteceu em 2013, 2017 e 2020, com o fechamento dos comércios por conta da COVID-19, chegando a ter um recuo de até 30% nos valores das moedas digitais.

Então, por que há a queda das criptomoedas em 2022? Existe uma série de fatores que contribuem para essa baixa de valores. Porém, o que pesa mais é a guerra entre Ucrânia e Rússia.

Não é só o mercado de moedas digitais que sofre com a tensão e a guerra declarada entre as nações, mas vários setores econômicos, já os países têm poderes comerciais importantes.

Outro fator que reflete diretamente nas cotações das moedas digitais é a atual inflação dos Estados Unidos. Como um importante pilar econômico, o aumento, chegando a bater 7,5%, máxima histórica, afetou as cotações das criptomoedas e, consequentemente, as carteiras de investimentos.

Como sobreviver à queda das criptomoedas?

Não existe uma fórmula secreta para lidar com as oscilações dos preços das criptomoedas, mas o mais indicado é não se desesperar. Isso porque, no impulso, você pode fazer um negócio mal-sucedido ou perder uma oportunidade única com lucros incríveis.

Assim, se você não quer arriscar durante a queda das criptomoedas, uma dica é esperar. Nesse tempo, é possível investir, desde que em ativos que já você já esteja familiarizado e confie.

Um conselho importante sobre a queda das altcoins é que, mesmo que pareçam ser ativos mais seguros, são procurados por muitas pessoas, por isso, o valor tende a cair mais. Então, a cautela deve ser redobrada.

Oportunidade de compra

Outra característica interessante sobre a queda das criptomoedas é que o momento pode ser ideal para se arriscar e fazer um “grande negócio”. Se você tem uma moeda digital em mente e confia na valorização a longo prazo, mas não tem capital suficiente, a queda pode ser a hora certa para adquiri-la.

Mesmo sendo uma estratégia arriscada e com altas chances de erro, pode ser o que você precisava para dobrar os ganhos com as criptomoedas. Assim, pense e elabore uma estratégia antes de colocar esse conselho em prática.

Use a queda de 2018 como exemplo

A atual queda das criptomoedas é assustadora, mas, em 2018, foi bem pior. Então, o que acha de aprender com quem passou por ela? Afinal, quem investiu em moedas digitais naquela época foi chamado de louco.

Isso porque, o Bitcoin, que chegou a valer US$ 20 mil, bateu o valor de US$ 3 mil, uma queda acumulada de 73,5%. Porém, quem soube comprar as moedas digitais e fazer aportes sabiamente, está com grandes lucros hoje.

Para ter uma ideia, quem manteve o Bitcoin na carteira de investimentos, hoje, já acumula uma alta de 1.160,3%, ou seja, o dinheiro multiplicou em mais de 12 vezes.

Quer mais dicas do mundo de criptomoedas? Conte com a NovaDAX

Se você gostou de saber o que é a queda das criptos e porque ela ocorre, não deixe de ler o nosso blog. Lá, é possível encontrar vários conteúdos que te ajudam a montar estratégias de investimentos. Confira!

 

Compartilhe

Leia mais