SEMANA DE MOEDAS: KSM LISTADO NA NOVADAX

A última moeda desta Semana de Moeda é a Kusama(KSM)! Ocupando a 29ª posição no ranking das criptos que mais capitalizaram nos últimos tempos — dados de 9 de junho de 2021 —, ela já chegou a ter uma capitalização de quase US$ 4 bilhões com o token a US$ 466.

Continue lendo o artigo para conhecê-la melhor!

O que é Kusama (KSM)?

Como uma rede cujo objetivo é entregar interoperabilidade entre outros sistemas, a KSM permite que diferentes protocolos se comuniquem com maior agilidade em comparação com o tradicional atomic swap — processo de troca de criptomoedas entre blockchains.

Para o projeto, essa função é um dos pontos mais característicos. Porém, boa parte do código-fonte é herdada de outra rede que está sendo desenvolvida pelos mesmos fundadores, o projeto Polkadot.

Isso quer dizer que o Dr. Gavin Wood, um dos contribuidores mais notáveis do projeto Ethereum e da Web3 Foundation, também foi responsável pela criação da Kusama Coin.

Quais são as vantagens da rede Kusama (KSM)?

Uma das grandes vantagens da Kusama é a agilidade, uma das características herdadas do Polkadot. Além disso, essa rede possui uma barreira baixa de entrada, tendo poucos requisitos para rodar um nó (node), o que contribui para mantê-la heterogênea.

A ideia da cripto Kusama, em termos de construção do produto, é entregar uma rede operacional ao modo rolling release. Ou seja, nela, cada trecho de código tem muito valor, evitando o estresse com testes com compatibilidade de sistemas, como acontece em outros projetos.

Outro ponto de destaque são as possibilidades de escalonamento de dapps — aplicações descentralizadas —, ou seja, a função de transferir posse de algum ativo com características de um NFT. Esse dapp, além de oferecer tal processo, consegue receber lances para determinar a posse daquele ativo.

O processo exige agilidade e confiabilidade. Isso porque, se comparar a forma como a rede Kusama trabalha com outras redes mais lentas — no que diz respeito à transmissão de blocos e às transações por segundo —, é atrativo manter parte da aplicação sob a rede e distribuir outras funções da aplicação a sistemas compatíveis.

Como a rede da Kusama é protegida?

moeda Kusama utiliza o protocolo de consenso Nominated Proof-Of-Stake (NPoS), que permite obter uma taxa maior de bloco sem perder auditabilidade. Tal consenso entrega, aos detentores do token, opção de governança e apoio para delegar poder computacional aos produtores de blocos.

A rede ainda possui alguns agentes para o controle e o combate à centralização, assim os proprietários do ativo KSM conseguem delegar poder computacional a outro agente. Desta forma, eles podem gerar os blocos, mandar para os demais fazerem a revisão e garantir o consenso.

Outra possibilidade do projeto é a governança bem pulverizada. Afinal, é possível enviar propostas para a rede entrar em consenso e existe também um conselho não permanente que apoia a gerência dessa interface de governança.

Assim, com uma barreira de entrada baixa e um trabalho bem feito pela comunidade — com documentação e fomento —, torna-se mais prático e simples conseguir desenvolver a rede de criptomoedas e apoiar um nó (node).

 

Compartilhe

Leia mais