Semana da Moeda: GRT LISTADO NA NOVADAX

O projeto The Graph (GRT) lançado em meados de 2018, passou por captação via ICO, onde o token GRT foi emitido. Agora, está listado na NovaDAX e pode negociar a moeda na nossa plataforma com BRL e USDT. Leia o artigo para saber mais!

O que é o The Graph (GRT)?

Este protocolo tem como objetivo facilitar a indexação de projetos que estão classificados no conceito de Web3. O criador da estrutura World Wide Web (www) Tim Berners-Lee classifica o conceito como a web de fora semântica e ao se aprofundar nas evoluções da tecnologia ao longo do tempo, a criação do conceito de blockchain traz para a nomenclatura Web3 (Web 3.0) a forma como a internet é atualmente, terá boa parte de sua estrutura interconectada e distribuída.

Hoje alguns buscadores fazem o trabalho de endereçar (indexar) boa parte do conteúdo disponível na internet, para projetos em blockchain o protocolo The Graph atua para fazer esse processo também, mas com foco total em sistemas distribuídos e os demais protocolos existentes como por exemplo IPFS, Polygon, Ethereum e outros.

Para esse projeto, o conceito já existente de monetização de API é aplicado na prática, pois os agentes que participam da rede terão o mesmo papel da arquitetura conhecida atualmente. Existe o agente que consome os dados providos por um outro agente que neste protocolo é chamado de “Indexer”. O agente “Indexer” (indexador) mantém unidades de GRT no processo de stake (entesouradas em carteira) e recebe remuneração pelo seu papel de fortalecer a rede e prover a indexação de subgraphs (são as APIs construídas de forma aberta para indexar alguma rede ou aplicação distribuída). Além dos “Indexers” (indexadores) e consumidores, existem outros agentes na rede, são eles:

Curadores (curators): são provedores das bases para indexação (conhecidas como subgraphs);

Delegadores (delegators): são atores que fazem a delegação de GRT para um indexador e assim ajudar no fortalecimento da rede.

Quais as vantagens do The Graph (GRT)?

Uma das grandes vantagens do protocolo The Graph é a capacidade de pulverizar a disponibilidade de serviços para indexação e consumo de dados. Um exemplo prático:

Imagine que alguém tenha interesse em montar uma lista de aplicações distribuídas construídas na rede Ethereum que está sob o padrão ERC-1155. Para isso, uma ferramenta que ajude no processo seja algum explorador de blocos para o protocolo Ethereum, no entanto este tipo de serviço está centralizado em alguma companhia e existe o risco de disponibilidade desse serviço.

O protocolo The Graph consegue atender essa demanda com alta disponibilidade, ainda que algum indexador fique offline dentro da rede The Graph, outro indexador tem incentivos para manter a disponibilidade ao agente que deseja fazer essa consulta.

Como a rede The Graph (GRT) é protegida?

O projeto The Graph foi criado sob o padrão de token ERC-20 com a nomenclatura GRT, logo para fins de consenso herda toda a regra da rede Ethereum.

Quem são os fundadores do projeto The Graph (GRT)?

Destaque para Yaniv Tal, atual CEO do projeto e Jannis Pohlmann como especialista técnico. Além dele, a comunidade apoia de forma independente os desenvolvimentos e também grandes companhias de tecnologia da informação estão no fomento como por exemplo: MuleSoft, Salesforce e Redhat.

Compartilhe

Leia mais