Investidor de criptomoedas analisando os gráficos no computador.

O que é inverno cripto? Entenda os detalhes aqui

Já ouviu falar que o mercado de criptomoedas entrou no inverno cripto? Este termo tem sido usado com frequência por vários investidores e portais de notícia para se referir ao mês de maio de 2022, mas você sabe o que isso significa?

Assim como outros assuntos do mercado de criptomoedas, é normal surgirem dúvidas sobre termos muito específicos, como este. Afinal, esse tipo de aplicação é novo, já que a primeira cripto, o famoso Bitcoin, só foi lançada em 2008.

Mesmo que essa dúvida seja razoável, se você quiser entrar nesse mercado, entender o que é inverno cripto é um passo importante. Saber como passar por esse período sem grandes perdas é mais essencial ainda. Confira!

Afinal, o que é inverno cripto?

O inverno cripto é um termo utilizado quando o valor das criptomoedas está em baixa e sofrendo quedas constantes. Ou seja, é um ponto de atenção para os investidores desse mercado.

É preciso ter cuidado, já que o inverno cripto não tem relação com halving, outro termo muito usado nesse universo. Ele só acontece quando há a redução pela metade da mineração de Bitcoin, bem mais específico, não é mesmo?

Também conhecido como bear market, esse é o momento em que qualquer investidor torce para superar e passar rápido. Porém, não se preocupe porque esse processo não ocorre com frequência. Na verdade, é necessário um intervalo de seis meses e um ano para ser considerado preocupante.

Histórico de inverno cripto

Como o histórico do mercado de criptomoedas ainda é muito recente, felizmente não foram muitas as vezes em que o inverno cripto se tornou notícia. Na verdade, os anos em que houveram essa queda foram: 2013, 2017 e 2020, cada um com uma motivação. Veja quais foram elas a seguir.

  • Em 2013: depois da máxima histórica do Bitcoin, a China proibiu as transações, causando uma queda de, aproximadamente, 50% do valor da cripto;
  • Em 2017: o mercado de criptomoedas estava esquentando, com o principal ativo, o Bitcoin, chegando a valer cerca de 20 vezes a média, porém, logo depois, desvalorizou mais de 29%;
  • Em 2020: por conta da pandemia da COVID-19, o mercado de criptomoedas teve um recuo de 30% em somente um dia.

Isso está ocorrendo agora: o inverno cripto de 2022 está em pleno andamento. Segundo levantamento do QR Asset Management, em 1 de maio, a criptomoeda LUNA chegou a desvalorizar 98,51%, assim como a Avalanche, que teve um recuo de 42,21%.

De acordo com os especialistas, esse último inverno cripto foi causado pelo recente conflito entre Rússia e Ucrânia, causando consequências que podem ser sentidas em todo o globo.

Como afeta a estratégia do investidor?

O inverno das criptos é um momento de cautela para o investidor, já que há grandes consequências nas movimentações do mercado. Porém, ao contrário do que se pensa, não é hora de medidas drásticas. Isso porque investir em moedas digitais envolve justamente saber lidar com as oscilações constantes.

Uma das maiores consequências do inverno cripto é a desvalorização dos ativos, já que é como se o mercado colocasse as criptos na geladeira, destinando o dinheiro para outros investimentos. Contudo, não desanime! Afinal, o cenário futuro para as criptomoedas é promissor.

Como passar por esse período?

Apesar de temer por esse período, o investidor precisa se preparar para “sobreviver” à queda das criptomoedas, garantindo a preservação dos fundos financeiros.

Como dissemos, o inverno cripto não é algo constante, dura somente uma fase. Assim, só é preciso esperar a “geleira” derreter e continuar a lucrar com esse investimento.

Uma dica para não sofrer grandes baques com o inverno cripto é investir apenas valores que está disposto a perder. Dessa forma, se algo acontecer, você não sentirá tanto essa perda, nem irá se arrepender de perder uma aplicação que julgava muito interessante.

Além disso, é aconselhável ter uma estratégia de investimentos montada antes de começar as aplicações no mercado de criptos. Dessa forma, você poderá investir em aplicações que condizem com os seus objetivos e com o seu perfil de investidor.

Não se engane achando que é só acompanhar as oscilações do mercado! Isso pode te trazer dor de cabeça e ansiedade, afinal, nesse tipo de aplicação, as mudanças de valores acontecem, mesmo que você esteja se precavendo.

Por outro lado, ser alarmista demais também pode te prejudicar. Isso porque negociar uma ação que ainda não estava pronto para vender pode não ser uma boa ideia.

Essas estratégias são interessantes e importantes para sobreviver ao inverno cripto, mas lembre-se que o segredo está em ter uma reserva de emergência! Assim, você consegue manter os seus investimentos a longo prazo.

Quer saber mais sobre criptomoedas? Informe-se conosco!

Gostou do nosso artigo sobre o inverno cripto? No blog da NovaDAX, você encontra muitos outros como este para entender melhor sobre esse mercado tão novo. Acesse!

 

Compartilhe

Leia mais