lightning network

Como funciona a Lightning Network do Bitcoin?

As transações com Bitcoin são demoradas e caras? Não são mais, você sabia?

Nós da NovaDAX separamos para você um artigo para mostrar a Lightning Network do Bitcoin, uma solução excelente para agilizar o processo de transação de bitcoins entre pessoas.

O que é a Lightning Network?

É uma rede paralela à Blockchain, que visa diminuir os custos e tempo de transação entre investidores de Bitcoin. Isso porque a Blockchain, por investir em segurança e descentralização, acaba deixando a desejar em escalabilidade.

Isso acontece porque, quando um projeto ou criptomoeda é criada, você tem que escolher 2 das 3 possibilidades:

  • Escalabilidade;
  • Descentralização;
  • Segurança.

No caso do Bitcoin, foi escolhido ficar de fora a escalabilidade e por isso as transações pela Blockchain são lentas e por vezes, mais caras. Por outro lado, elas são seguras e descentralizadas, o que faz com que você não fique exposto a golpes ou ações do governo que facilmente poderiam te fazer perder todo o seu investimento e também muito mais difícil de ser hackeado.

Quando a moeda foi lançada em 2009, provavelmente não existia o problema de lentidão para fazer transações. Isso aconteceu porque, à medida que o tempo foi passando, mais pessoas começaram a investir em Bitcoins, aumentando a quantidade de transações por segundo, o que sobrecarregou a rede, aumentando muito o tempo entre uma transação e outra.

Para você ter uma ideia, a rede BTC processa 7 transações por segundo, o que é muito pouco, comparado com a VISA por exemplo, que processa 4 mil transações por segundo.

De novo o dilema: Descentralização x Escalabilidade

A VISA optou por centralizar suas transações, ter mais velocidade e segurança, porém se seus servidores caírem, ou se ela sofrer uma sanção do governo, seus sistemas podem parar em segundos, já com o Bitcoin, é diferente.

Na prática, por que é tão lento?

Os Blocos da Blockchain são verificados constantemente para que haja mais segurança, tornando ela mais lenta e mais cara do que outras redes. 

Toda nova transação tem que ser registrada em um novo bloco, cada bloco consegue registrar apenas 1MB e depois que a informação é registrada no bloco, ele distribui a informação por toda a rede.

Pensando nisso, criou-se a Lightning Network do Bitcoin, que nada mais é do que uma rede paralela a Blockchain, uma rede que não precisa registrar todas informações na Blockchain. Tipo um “segundo andar”. 

Isso faz com que as transações ocorram em segundos e custem menos de 1 centavo de dólar, dando escalabilidade (que o bitcoin não tinha), mantendo a segurança e também sendo descentralização.

Qual a diferença dela para a Blockchain? 

Ela se conecta na Blockchain, mas não manda todas as informações para a Blockchain. O que acontece dentro da rede, não é registrado dentro da blockchain e não precisa de mineração intensa.

Essa rede tem diversos “nós” e canais de pagamentos espalhados pelo mundo inteiro (o que garante a descentralização) e se conectam entre eles, para garantir que a 1 tenha transferido Bitcoins para a pessoa 2. 

E como isso funciona na prática?

Quando 2 pessoas querem transferir Bitcoins entre si, elas precisam abrir um canal Lightning e trancar fundos (Bitcoins) em um endereço MULTISIG, onde 2 ou mais pessoas podem fazer transações entre si, como se fosse uma conta conjunta de Bitcoin que evitam pontos de falha. Tendo esses fundos “trancados” dentro desse canal, nós conseguimos transferir Bitcoins entre nós (que estamos dentro do canal), desde que não ultrapassem o valor total travado. 

Por exemplo: Se eu “travei” 2 Bitcoins dentro do canal MULTISIG, eu não posso te transferir mais do que eu “travei” lá. Funciona mais ou menos como um cartão de crédito pré-pago, onde você aporta fundos e não consegue usar mais do que você aportou lá dentro.

E onde fica a Blockchain nesse sistema todo?

Existem 2 informações que o canal vai passar para a Blockchain:

1 – Quando a rede é aberta entre 2 ou mais pessoas e uma quantidade “x” de Bitcoin é travada no canal MULTISIG;

2 – Quando o canal é fechado e as informações de transferência entre as pessoas que estão ali é enviado, registrado e propagado pela Blockchain.

Por exemplo:

A pessoa 1 abre um canal de Lightning com a pessoa 2. As duas travaram Bitcoins lá dentro e fizeram transações entre eles durante 1 semana. Depois de fechado o canal, é registrado na Blockchain quanto no total a pessoa 1 transferiu para a pessoa 2 e vice versa, mas não são registradas todas as transações que aconteceram entre eles lá dentro, apenas o saldo final.

Quem pode abrir um canal de Lightning?

Qualquer pessoa pode abrir um canal de Lightning, desde que tenha aprendido toda a parte prática de travar seus valores em Bitcoin e saber configurar o sistema.

Você sabia que na NovaDAX você pode negociar Bitcoins sem pagar taxas de transação? Clique aqui e faça seu cadastro agora! 

Compartilhe

Leia mais