bitcoin é seguro

Bitcoin é seguro? Entenda os sistemas de proteção

O mundo das criptomoedas está cada vez maior, totalizando mais de oito mil tipos de moedas virtuais diferentes. Porém, o Bitcoin foi a primeira a ser lançada, em 2008, “abrindo as portas” para uma nova modalidade de investimento. Então, será que o Bitcoin é seguro?

Assim como as outras criptomoedas, o valor do Bitcoin é definido por meio da lei de oferta e procura. Por isso, a rentabilidade da moeda está suscetível a variações e até mesmo à legislação do país em que está sendo negociada.

A seguir, explicaremos como funciona o sistema de compra e venda dessa moeda digital para concluirmos se o Bitcoin é seguro para investir. Leia e entenda.

Entenda a segurança do Bitcoin

Como o precursor do universo de criptomoedas, entender se o Bitcoin é seguro é o primeiro passo para conhecer o funcionamento desse segmento financeiro. Isso porque as moedas virtuais e os sistemas posteriores se basearam nesse criptoativo.

Com uma das maiores valorizações do mercado, U$S 60 mil — cotação de 9 de agosto de 2021 —, o Bitcoin, mesmo depois de mais de 10 anos da criação, chama a atenção pelo sucesso, “mas a que se deve essa ascensão?”. A seguir, listamos os pontos-chave da segurança dessa criptomoeda, veja.

Blockchain

O blockchain é um dos sistemas que tornam o Bitcoin seguro. Isso porque essa é uma tecnologia simplificada que constitui um “lugar” — virtual —, em que todas as informações trocadas nas transações ficam organizadas e armazenadas.

Esse é um sistema acessível a todos que negociam Bitcoin, o que traz um aspecto mais transparente às operações. Por outro lado, ao contrário de outras criptomoedas, o blockchain do Bitcoin registra todas as movimentações em blocos de dados criptografados por tempo indeterminado.

Por estar no ambiente virtual, aplicar em Bitcoin é seguro e até mesmo um diferencial em comparação às outras criptomoedas, já que esse tipo de rede traz mais conforto ao investidor.

Criptografia

A criptografia presente no blockchain é outra característica pela qual o Bitcoin é seguro. Isso porque todas as transações realizadas com essa criptomoeda são encriptadas, garantindo a confidencialidade das informações pessoais dos investidores.

Mesmo que essa característica não chame a atenção à primeira vista, o diferencial desse sistema é que todas as informações ficam interligadas por blocos. Ou seja, se houver uma tentativa de hackeamento ou fraude, o hash — função que mapeia dados grandes para tamanhos fixos — torna-se inválido, impedindo a interligação dos blocos.

Chaves privadas nas transações

Outro ponto importante sobre a segurança do Bitcoin é que todas as transferências entre carteiras são realizadas somente por um sistema de chaves, o que torna o processo mais seguro.

Na prática, toda carteira de Bitcoin possui uma “chave privada”, que é usada para confirmar as transações, como uma validação para garantir que a negociação foi realizada pelo dono da carteira.

O que leva os investidores a investirem em Bitcoin?

Além da valorização, os processos de segurança, como os que listamos acima, tornam o Bitcoin um criptoativo único na carteira dos investidores. Porém, ainda existem alguns aspectos que reforçam essa característica. Leia a seguir quais são eles.

Código de autorregulação da ABCripto

O mercado de criptomoedas tem a fama de ser uma “terra sem lei”, afinal é um segmento novo que ainda está sendo desenvolvido. Porém, depois do lançamento do novo código de autorregulamentação pela Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto), esse não é um conceito mais válido.

Esse é um regulamento que visa proteger e ajudar os investidores a aplicarem o patrimônio sem obstáculos, funcionando como um guia de boas práticas para as exchanges.

Segundo a CEA da NovaDAX, Beibei Liu: “A NovaDAX faz parte da ABCripto desde o início da criação da entidade, para nós a regulamentação do mercado o torna mais seguro tanto para as empresas que atuam nele quanto para os clientes”.

Plataforma descentralizada

Investir em Bitcoin é seguro por conta da rede descentralizada, o que significa que não há intermediários. Por isso, não pode haver interferências externas, ou seja, o governo, por exemplo, pode criar leis contra a criptomoeda, mas não irá afetá-la.

Mesmo que seja uma proteção adicional para o investidor, as chances são mínimas de algo acontecer. Isso porque os governos estão buscando incluir a criptomoeda nos próprios sistemas financeiros.

Assim, o único modo do Bitcoin ser destruído é se a moeda se tornar obsoleta, ou seja, se todos os governos adotassem a criptomoeda como um novo padrão monetário.

Alie a segurança da criptomoeda a uma exchange confiável

Agora que já sabe que o Bitcoin é seguro, o próximo passo é encontrar a melhor exchange para começar a negociar o seu patrimônio. A NovaDAX, por exemplo, é uma plataforma com que você pode contar.

Confiável, com sistema de segurança pensado para proteger os seus dados pessoais, a nossa plataforma é uma exchange que pensa na usabilidade dos investidores.

 

Compartilhe

Leia mais

ath

ATH: o que é e como identificar

A sigla ATH vem da expressão “all-time high”, ou seja, a maior alta que determinada criptomoeda já teve em sua existência. É um termo bastante